20 de nov de 2014

O Poder dos Cabelos Crespos (Entrevista)

 Crespas naturais

Olá meus leitores queridos. Hoje aproveitando o feriado da consciência negra temos uma entrevista com a minha amiga Gabriela Araújo. Uma jovem trabalhadora, estudiosa, com uma atitude sempre guerreira e atualizada nas questões afro sociais. Ela tem uma história capilar muito interessante e depois de tantas químicas resolveu assumir os cabelos naturais.




Preta: Gabi nos conte um pouco sobre a sua trajetória capilar:

Gabriela Araújo: Na minha infância meu cabelo foi trançado pela minha mãe, que sofria pra pentear tanto cabelo, hehe. Eu sofria porque passava um tempão sentada esperando ela terminar. Tive minha primeira experiência cedo por volta dos 10 anos quando usei o Toinolft da Embeleze, fiz só uma vez e não fez muito efeito.Depois fui usar química lá pros meus 14 anos uma química desconhecida que deixou meu cabelo liso. Depois disso passei por muitas químicas como Guanidina, Progressiva, etc.

Preta: Por que desistiu da química?

Gabriela Araújo: A princípio foi pela estética.Queria cachos mas tudo o que conseguiam era alisar meu cabelo.Eu pesquisei bastante antes de decidir, estava farta de me submeter a tudo que a química traz. E também queria assumir meu cabelo como ele é, me ver como negra, com meu crespo natural. E pelo da saúde, muitas meninas não sabem mas muitas químicas tem propriedades que chegam a ser cancerígenas.



Preta: No inicio teve alguma dificuldade? Pq esta é decisão que costuma ser difícil?

Gabriela Araújo: Sim tive muita dificuldade por falta de informação. Este é o meu segundo BC e a segunda tentativa de deixar o cabelo natural. 
É muito difícil pois geralmente quando se usa química não se conhece o cabelo, dá um medo do desconhecido.Outro problema é a falta de informação.Alguns meses depois do meu primeiro BC eu recorri a química porque não sabia cuidar do meu crespo e tinha pouco acesso as informações.Também é importante se aceitar, eu achei muito importante deixar meu cabelo se mostrar e me reafirmar como negra e perceber que o crespo é muito bonito se você deixar seu preconceito de lado.Muitas vezes a cultura do "cabelo ruim" impede muitas meninas de deixar a química. A confiança e a autoestima são importantes, precisam ser cultivadas. São muitas coisas que podem desestimulam, é importante que a pessoa esteja certa de sua decisão.Para aprender a cuidar é só pesquisar e hoje está mais fácil.



Preta: Sofreu algum tipo de bullying?

Gabriela Araújo: Diretamente não. Mas já percebi alguma coisa. Penso assim: se a pessoa não tem coragem de dizer pra você o que pensa não merece minha atenção.Geralmente dou uma alfinetada na pessoa, porque se importam demais com os outros. Sou assim e gosto de mim, gosto de meu cabelo, da minha cor. Muitas vezes a discriminação com o cabelo crespo está ligada ao racismo.Eu sou negra, meu cabelo é crespo, uma herança.Faz parte de quem eu sou.E me dá orgulho.As pessoas ficam olhando na rua sim, mas eles que se acostumem.Temos que ter essa consciência: Meu cabelo é crespo sim, porque eu gosto dele assim! Se tiver convicção e confiança, bullyng é contornado tranquilamente.Isso já me incomodou e as vezes me deixa triste, mas aí eu vejo como essas pessoas são pequenas, chego a sentir pena.Mas é isso aí estamos quebrando ditaduras de beleza e deixando tudo mais bonito, mais crespo.E isso incomoda.

 Preta: Quais os produtos que vc usa atualmente(leave in, hidratações, gel, etc) para manter os cabelos bonitos, saudáveis e com definição?

Gabriela Araújo: Bom são muitos pois meu cabelo enjoa rápido e eu sempre procuro produtos mais compatíveis. Gosto muito de fazer umectação com azeite extra virgem e com o óleo de macadâmia, e misturar na hidratação. Sigo o Cronograma Capilar, do meu jeito mesmo, e sem neura.Para hidratação gosto muito do Novex Azeite de Oliva, Kanechom Banho de Brilho,Kanechom Óleo de Argan, a máscara Pró Series Collor da Wella, entre outros. Ainda estou pra experimentar o gel de linhaça. Sobre leave in eu gosto do finalizador Pro Series Collor da Wella, Seda Recarga Natural Antinós, e gosto muito do G Gelatina da Capicilin dá muita definição, mas não uso com muita frequência pois reduz muito o volume.

 Preta: Qual a sua mensagem para as meninas que pretendem mais ainda não tiveram coragem de assumir o crespo natural?

Gabriela Araújo: Primeiro tenham certeza do que querem.Pesquisem bastante, pois é uma caminhada muitas vezes difícil assumir seu crespo. Vocês vão precisar ter força de vontade para prosseguir, muitas pessoas irão criticar vocês, tentar lhes por para baixo.Seu cabelo crespo é símbolo de resistência.Existem muitas meninas que podem servir como inspiração, tenham força, e AMEM O SEU CABELO NATURAL COMO ELE É! O MAIS IMPORTANTE É VOCÊ SE AMAR E SE ACEITAR ANTES DA ACEITAÇÃO DOS OUTROS.Resistir a um sistema sempre é difícil, por isso amem a si mesmas como são. Seu cabelo faz parte de quem você é.Mesmo que tenham que tentar de novo como eu, o importante é se sentir bem.Eu me sinto maravilhosa com meu cabelo natural e com confiança e amor vocês também se sentirão!Força e Foco!

Amiga realmente você está poderosa com seu black. Te conheço pessoalmente e vi os cachinhos lindos que seus cabelos formam, é um tipo de 3c com 4a misturado. Eu uso química mais apoio a sua decisão e acredito que você seja mais uma inspiração para muitas meninas que estão na dúvida, ou tem medo de deixar os cabelos naturais. 

É isso meus amores, quem quiser contar um pouco de sua trajetória capilar pode mandar fotos e relatos pelo formulário na aba de contato acima.



Beijos.

7 comentários:

  1. Adorei a entrevista!

    http://sobre-tudoum-pouco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Preta! Ótima e inspiradora essa matéria, com ou sem química nos estimula a olhar com amor e respeito os crespos. E os cachos da Gabriela são lindos.

    ResponderExcluir
  3. Amei a entrevista. Quando eu resolvi assumir meus crespos achei que seria só estética, mas a mudança foi bem mais que exterior.

    ResponderExcluir
  4. Ela é linda,coloquei aplique para não mais usar química pois a química no começo deixa seus cabelos lindo mas depois acabam quebrando .Amei a entrevista e minha mãe também fazia tranças em mim eu sofria com aquilo pois meus cabelos eram cheios tanto é que me chamavam de Clara Nunes ..vou tentar parar de usar química

    ResponderExcluir
  5. Adorei a entrevista, bato palmas pra que tem coragem de passar pela transição, pois é um período muito difícil e demorado, mas no fim o resultado é espetacular. Queria ter essa coragem e força de vontade, já tentei mas não consegui, até pq me identifico muito mais com o meu cabelo liso. Beijo

    ResponderExcluir
  6. Que linda ela...eu tenho cabelos cacheados, nunca usei quimica, nem sequer dei escova, sempre amei meus cachos enormes, rsrsrsrs
    Ela é uma moça guerreira e corajosa, parabéns a ela. Uma pessoa orgulhosa de sua cor e de sua raça...

    http://detudoumpouco28.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. amei a entrevista ,mais uma vez vou tentar...!!!

    ResponderExcluir

Todos os comentários são moderados. Se fez uma pergunta, volte para ler sua resposta
Seu comentário é muito importante!! Então peço que deixe seu nome/url
(identifique-se)

******Atenção críticas construtivas serão aceitas, mas comentários ofensivos serão deletados. O Blog da Preta respeita o leitor, portanto respeite a autora.*******
O art. 5° da constituição federal diz:
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;


Leia também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
onselectstart='return false'